Voltar

Marcos da trajetória de luta da mulher

No Brasil:

1920: Criação da Liga Pela Emancipação Intelectual da Mulher

1922: Criação da Federação Brasileira para o Progresso Feminina

1932: Aprovação do Código Eleitoral, assegurando à mulher o direito de voto e de se candidatar.

1934: Campanha eleitoral para a Assembléia Constituinte, com intensa participação feminina.

1936: Estatuto da Mulher, elaborado por Bertha Lutz e pela deputada Carlota Pereira de Queiroz. Bertha Lutz foi uma das principais pioneiras do movimento organizado de mulheres, trazendo para o cenário político as campanhas pelo voto feminino, por mudanças na legislação do trabalho e no código civil.

1940/50: Aumento significativo da participação da mulher nos movimentos sindicais

1949: Constituição da Federação das Mulheres do Brasil

1970: Criação do Movimento Feminino pela Anistia

1983: Criação das delegacias especializadas de atendimento à mulher vítima de violência

1988: A Constituição Federal assegura direitos às mulheres como cidadãs e trabalhadoras. É criado o Conselho Nacional dos Direitos da Mulher.

Fontes:

- Introdução ao Planejamento para o Gênero: um guia prático. IBAM/Fundação Ford. Rio de Janeiro. 1997.Organização: Delaine Martins Costa

- Relatórios internos da Rede Mulher de Educação

- Anexo II - (p.2)